Santa Júlia Billiart

Santa Júlia Billiart – uma Santa para o nosso tempo

1751-1816

Fundadora das Irmãs de Notre Dame de Namur,
Mãe espiritual e inspiradora das Congregações de Notre Dame de Coesfeld e de Amersfoort.


Devemos ter uma grande, muito grande confiança, radicada na bondade de Deus. C. 146
É dos primeiros momentos que, muitas vezes, tudo depende. C. 146


O Padre Dangicourt convida Júlia, aos 9 anos de idade, a receber a Primeira Comunhão.


Já aos 7 anos torna-se Catequista de crianças e de adultos.
Por horas, os amigos de Júlia Billiart ficavam sentados, sorrindo, enquanto ela lhes ensinava as lições. Júlia nasceu para ser professora.


De sua cama, Júlia ensina a crianças do vilarejo, sobre a bondade de Deus.


Trabalhadores do campo também podiam ouvir os ensinamentos de Júlia sobre o Bom Deus.

Santa Júlia e sua Missão:

A vocação de Catequista era prelúdio para a sua Missão futura na Congregação.

Por seus ensinamentos, seu exemplo e por sua vida tornou evidente que, havia uma única missão: a missão do próprio Cristo.


Uma jovem Irmã bate o sino para anunciar que as Irmãs de Notre Dame haviam aberto uma escola pública e gratuita para meninas pequenas.

“Minhas queridas Irmãs, somos chamadas a fazer o que Nosso Senhor realizou na terra”; e “devemos cooperar no trabalho de Cristo em toda a abrangência de nossa vocação.” (cf.C 156)

Como conseqüência da profunda experiência do bom Deus que Júlia teve, desde a infância, desenvolve-se nela muito cedo o desejo de tornar o bom Deus conhecido e amado.


Ajudando sua família, vai à cidade para vender mercadorias por melhores preços.


A paz da pequena loja é perturbada quando uma pedra é arremessada pela janela e um tiro é disparado, amedrontando Júlia e seu pai.


Um colono, cuidadosamente, esconde Júlia e Felicité sob um monte de palha e as transporta em segurança.


Uma visão de futuro.


Santa Júlia partilhou da missão de Cristo durante toda a sua vida.

Como um Girassol :
“A mente e o coração deveriam sempre voltar-se para Cristo e segui-lo.”


“Madre, se tens fé, dá um passo em homenagem ao Sagrado Coração de Jesus.


Uma comunidade se estabelece aos 04 de fevereiro de 1804, quando Júlia Billiart e suas companheiras emitem os VOTOS religiosos.

Júlia concebe o apostolado educacional como expressão natural e inevitável de sua profunda percepção e experiência da bondade de Deus.


Madre Júlia chega à Bélgica e é recebida por moças, ansiosas em fazer parte do grupo das Irmãs de Notre Dame.


Madre Julia vê suas Irmãs levando a mensagem da bondade de Deus por todo o mundo.


Educação é um compartilhar da bondade de Deus, um trazer as pessoas ao Senhor. É a maior obra do mundo, por ser um canal de salvação.


O severo e traiçoeiro inverno força Madre Júlia a abandonar seu coche e a andar a pé.


Madre Júlia ama visitar os estudantes de suas escolas e ensinar-lhes sobre o Bom Deus.


Madre Júlia acompanha um grupo de Irmãs a uma nova cidade e funda uma nova escola.


Madre Júlia pede a Deus que cure a infecção na vista de uma menininha.


Madre Júlia retorna a Namur, na companhia de dois soldados de Napoleão, encerrando mais uma viagem pela Bélgica, então desvastada pela guerra.

 

 


“Educar é, entre as obras divinas, a mais divina.”

“Façamos tudo o que pudermos para tornar o bom Deus conhecido e amado por todos os que nos cercam.”

“É preciso lançar sempre a semente na terra; o bom Deus lhe dará o crescimento quando Lhe aprouver.” (C 18)


“O Bom Deus é tão bom. Dize isto às minhas filhas. Eu desejaria que a minha voz chegasse até os confins do mundo para convidar todas as pessoas para louvarem a misericórdia de Deus.” (C. à Ir. Leleu)

“Portanto, vão e façam com que todos os povos se tornem meus discípulos …” (Mt. 28,18-20)

Que no teu olhar, possa Deus olhar!
Que no teu sorrir, possa Deus sorrir!
Que no teu amor, possa Deus amar!
Que no teu servir, possa Deus servir!
Que no teu silêncio, possa Deus nascer!
Que na tua prece, possa Deus orar!
Que no teu sofrer, possa Deus crescer!
Que no teu fazer, Deus possa operar!
Que no teu gesto, possa Deus se dar!
Que em tua palavra,possa Deus falar!
Que na tua vida, possa Deus estar!
Que no teu ser, possa Deus viver!

Assim aos homens revelarás a bondade de Deus!

Oração:
Ó Santa Júlia, que tiveste um coração tão cheio do Amor de Deus, um coração tão missionário, capaz de abraçar o mundo inteiro, no desejo de salvar almas e tornar o Bom Deus conhecido e amado, intercedei por nós para que continuemos esta tua missão até chegarmos aos confins do Universo. Amém

“Oh! quanto é bom o Bom Deus” não era simplesmente uma exclamação para Santa Júlia, mas a expressão de sua mais profunda e alegre convicção. Precisava partilhá-la com os outros. Queria que todos experimentassem a bondade de Deus, como ela a havia experimentado, tornando-se pessoas boas e chegando a conhecer e amar o bom Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>