O protagonismo do idoso na sociedade

Conferência do Idoso discutiu programas, projetos, ações e serviços, participação e controle social, gestão e financiamento

Conferência do Idoso discutiu programas, projetos, ações e serviços, participação e controle social, gestão e financiamento

Não abrir mão de fazer parte da sociedade e motivar o idoso para ser protagonista no meio social. Esse foi o debate que pautou os grupos de discussão na 2ª Conferência Municipal do Idoso no Centro de Referência da Assistência Social (Cras), no dia 1º de agosto.

Na Conferência, a secretária municipal de Assistência Social Clereci Schenkel apresentou os grupos de convivência, projetos de inclusão digital, auxílio, acolhimento ao Lar do Idoso e a participação do Conselho Municipal do Idoso, que acompanha, fiscaliza e avalia as políticas aos idosos no município.

Para a presidente do conselho do idoso, a Ir. Odila Maria Algeri, a conferência privilegia os direitos do idoso e sua relevante participação na sociedade.

- O idoso tem o direito de saber seus direitos para se defender e ser feliz. Estamos avaliando o que o município está fazendo e o que deverá fazer – disse.

Com o tema “Pessoa Idosa e o Protagonismo nas Transformações Sociais” foi bordado na palestra da enfermeira e mestranda em Envelhecimento Humano pela UPF, a Ir. Marisa Martinelli, que trabalha no Hospital Notre Dame Júlia Billiart. Em sua apresentação, informou que as mulheres vivem até sete anos a mais do que os homens. Explicou que existem diversas velhices, como idosos jovens (entre 65 a 74 anos); idosos (entre 75 a 84 anos); muito idoso (85 a 90 anos) e idoso (centenário).

Para Marisa Martinelli, para ser protagonista na sociedade, o idoso tem que ter acesso à comunicação, à internet, manter relacionamento social, projeto de vida e participação nas mais variados tarefas.

- O envelhecimento é um fenômeno social e não impede a pessoa de contribuir para mudar o patamar econômico, inclusive no orçamento familiar – destacou a mestranda.

Também destacou característica que tornam o idoso protagonista: atitude, ser proativo assumindo responsabilidades, reclamando menos, sendo otimista, viajando, saindo de casa. – A pessoa idosa tem sabedoria e experiência e deve ser protagonista na nossa sociedade – afirmou Ir. Marisa Martinelli.

Aumenta expectativa de vida

Segundo pesquisa do IBGE 2010 publicada em Zero Hora de sábado (3 de agosto), a expectativa de vida cresceu 8,1 anos no Rio Grande do Sul, mas o avanço de 67,8 anos para 75,9 foi o menor em todo país. O RS caiu de líder para quarto lugar em longevidade e as políticas públicas foram determinantes. Causas como acidentes e violência são as mais relevantes para as mortes.

A conferência foi prestigiada pela presença do prefeito Antônio Vicente Piva e representando o Poder Legislativo e o vereador Ibanez Victor de Quadros.
Os participantes, em grupos, debateram três eixos temáticos que são: programas, projetos, ações e serviços; participação e controle social; gestão e financiamento. Foram escolhidos no final da conferência os delegados Vivian Vanzin (titular) e Maria Jussara Salvadori (suplente), da sociedade civil, Lori Ross (titular), e Magnolia Mallmann (suplente).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>